Ofício encaminhado por Aires Ribeiro questiona Fiesp pelo posicionamento a favor do congelamento

Nosso tesoureiro Aires Ribeiro, que também é presidente da CSPM e Fesspmesp (Confederação e Federação dos Servidores) encaminhou ofício à Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) referente a um material publicitário publicado. Em suma, a divulgação da entidade defende o congelamento de salários aprovado pelo Governo federal, o que claramente é um ataque ao funcionalismo de todo o Brasil. Assim, o documento questiona em qual circunstância tal medida contra os Servidores poderia beneficiar as indústrias.

Confira o ofício na íntegra a seguir:

Senhor Presidente

Represento aqui os Servidores Públicos Municipais do Estado de São Paulo como Presidente da Fesspmesp – Federação dos Sindicatos de Servidores Públicos Municipais do Estado de São Paulo – que congrega 162 entidades presentes em 200 municípios. Também falo em nome de todos os servidores municipais do Brasil através da CSPM – Confederação dos Servidores Públicos Municipais – que congrega 11 federações em 11 estados brasileiros.

Ao assistir as publicações promovidas por esta Federação, que defende o congelamento dos salários dos servidores, neste momento econômico delicado que enfrentamos, me vieram algumas dúvidas que quem sabe Vossa Senhoria possa me ajudar a compreender.

Não quero argumentar aqui, se é justo ou não, conforme perguntam na referida matéria. Para isso seria necessário discorrer sobre todas as atividades desenvolvidas pelos servidores, suas responsabilidades, competências e valores mensais que recebem como salário.

Minha dúvida paira em qual é o papel de uma federação da Indústria neste momento em que empresas estão fechando as portas. Principalmente por falta de consumo de seus produtos. Também pergunto, como esta representativa e respeitável federação está estudando caminhos de recuperação pós pandemia se tem caminhado em direção contraria ao que entendo fundamental para o aquecimento da economia interna.

Como entender que retirando recursos, quase um trilhão, dos aposentados com a reforma da previdência e agora com a redução do poder aquisitivo dos 14 milhões de servidores com o congelamento de salários, vai contribuir para a recuperação de nossa indústria se considerarmos que as prefeituras neste País são os maiores empregadoras nos municípios.

Por outro lado, enquanto vocês defendem redução de consumo a Febraban articula e incluem na medida provisória 936 no artigo 27 a possibilidade de servidores e aposentados adquirirem com mais 10% de seus salários o seu produto.

É claro para mim que a política deste governo é defender e dar sustentabilidade para o sistema financeiro em detrimento dos demais segmentos da sociedade. Basta verificar as atitudes tomadas até agora. O que não consigo entender como reduzir consumo, através da redução de poder aquisitivo, contribui para recuperação da indústria?

Apresento os protestos de respeito e consideração.

Atenciosamente,

Aires Ribeiro

Presidente da CSPM e Fesspmesp

AÇÕES

No último dia 29 de maio houve uma reunião com diversas lideranças da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros) para debater o atual cenário dos Servidores públicos. A pauta principal foi o congelamento de salários do funcionalismo, que foi uma das condições para aprovação de nova ajuda aos Estados e municípios por parte do governo Federal. Assim, o debate entre os sindicalistas foi para promover ações para combater os frequentes ataques aos trabalhadores.

Além de Aires, participaram do encontro virtual Antônio Wagner, presidente em exercício da CSB-MT; Sérgio Arnoud, presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos no estado do Rio Grande do Sul; os representantes da CSB: Antonio Neto, presidente nacional, e Álvaro Egea, secretário-geral; além de advogados e assessores das entidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *